Ter uma alimentação saudável e equilibrada é um dos segredos para uma vida longa, plena e feliz. Mas com a correria do dia a dia, o trabalho e cuidados com a casa é comum recorrer a alimentos prontos, fast-foods e lanches rápidos.

Essa combinação, entretanto, pode ocasionar um desequilíbrio no corpo, proporcionando doenças como colesterol alto, fadiga e o aumento de peso.
E é claro que você não quer que nada disso aconteça, não é mesmo? Para te ajudar a manter uma vida mais saudável, separamos 10 dicas de como ter uma alimentação saudável e adequada. Veja abaixo:

1​. Prefira alimentos in natura ou com o mínimo de processamento
Alimentos de origem predominantemente de vegetal são a base para uma alimentação

balanceada e saudável.

Certifique-se de incluir no seu cardápio uma grande variedade de grãos, raízes, tubérculos, farinhas, legumes, verduras, frutas, castanhas, leite, ovos e carnes.

2. Utilize óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades

Nenhum dos itens acima precisam ser retirados do cardápio – exceto se for recomendação médica. O ideal é utilizá-los de forma moderada.

Trocar o óleo pelo azeite e as frituras pelos alimentos grelhados, é uma alternativa para melhorar consideravelmente a ingestão dos alimentos.

Para temperar alimentos o indicado é optar por temperos naturais, como ervas, pimentas. Quanto mais fresco, mais saudável.

3. Limite o consumo de processados

Ingredientes e métodos usados na fabricação de alimentos como conservas de legumes, compota de frutas, pães e queijos alteram de modo desfavorável a composição nutricional dos alimentos dos quais derivam.

Por isso, o mais indicado é que sejam consumidos em pequenas quantidades ou como parte dos ingredientes de preparações culinárias.

4. Evite o consumo de ultraprocessados

Alimentos ultraprocessados, como biscoitos doces e salgados, sucos em pó, refrigerantes, temperos prontos, embutidos, salgadinhos e outras guloseimas, são nutricionalmente desbalanceados. Favorecem o consumo excessivo de calorias, contém aditivos industriais e

excesso de gordura, açúcar, sódio, entre outras substâncias nocivas à saúde.

Para identificar se o alimento é ultraprocessado é importante observar a lista de ingredientes na embalagem do produto. Em geral, se são descritos cinco ingredientes ou mais, o alimento é classificado como ultraprocessado, especialmente quando os ingredientes são basicamente formulações industriais ou com nomes desconhecidos.

5. ​Coma com regularidade e atenção
Intervalos muito longos entre uma refeição e outra ​contribui para o consumo exagerado,

retardamento do metabolismo e consequentemente ganho de peso.

O indicado é se alimentar de 3 em 3 horas, com alimentos leves. Além de ingerir no mínimo 3 litros de água.

6. Faça compras em locais com variedades de alimentos naturais

Procure fazer compras de alimentos em mercados, feiras livres e feiras de produtores e outros locais que comercializam variedades de alimentos naturais ou minimamente processados.

7. Desenvolva, exercite e compartilhe habilidades culinárias

Cozinhar pode ser extremamente satisfatório e ainda contribuir para uma rotina mais saudável. Livros de culinária, programas de TV e cursos podem ajudá-lo a desenvolver ou aprimorar habilidades culinárias.

Uma boa alternativa é trocar experiências e receitas com família e amigos. Você pode descobrir como cozinhar pode ser divertido, terapêutico e benéfico para toda a família.

8. Planeje suas refeições

Planeje as compras de alimentos, organize a despensa doméstica e defina com antecedência o cardápio da semana. A princípio pode parecer muito trabalhoso, mas o planejamento contribui para manter uma rotina saudável, evitando o despreparo em dias corridos e consequentemente recorrer a alimentos prontos e fast-foods.

9. ​Quando estiver fora de casa, dê preferência a locais que servem refeições feitas na hora

No dia a dia, nem sempre será possível fazer todas as refeições em casa, mas isso não significa que você precise se render às redes de fast-foods. Restaurantes de comida a quilo

podem ser boas opções, assim como refeitórios que servem comida caseira em escolas ou no local de trabalho.

Uma boa alternativa é preparar antecipadamente as refeições em casa e levá-las para o trabalho.

10. Seja crítico quanto a informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas

Propagandas voltadas para alimentação tem como finalidade vender a sensação que proporciona o alimento. É importante considerar que muitos anúncios e mensagens veiculadas em propagandas não estão preocupadas com o valor nutricional do alimento.

Por isso, é fundamental além de avaliar criticamente esse tipo de mensagem, tirar suas dúvidas com um médico ou nutricionista.

Afinal, alimentos com informações como “zero açúcar”, “livre de gorduras trans”, “natural”, “caseiro”, nem sempre significam que o produto é saudável.


Posts Relacionados